O Terceiro Mundo em Viseu


"Só há cinco pares de calças de fogo para os 39 efetivos dos bombeiros municipais de Viseu. A denúncia foi feita, esta manhã, por Sérgio Carvalho, presidente do Sindicato Nacional dos Bombeiros Profissionias.
"Este equipamento deveria ser individual, mas estes bombeiros só têm cinco pares de calças disponíveis", afirmou Sérgio Carvalho. "Isto faz-se num país do terceiro mundo", lamentou o presidente do Sindicato Nacional dos Bombeiros Profissionias.
Numa conferência de imprensa, esta sexta-feira de manhã, também esteve o presidente da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais, Fernando Curto, que considerou a situação de Viseu "bastante caótica" e disse que o corpo de bombeiros profissionais deveria ter 60 elementos quando só tem 39.
"Há fardas rotas, equipamento deficiente, o quartel não tem condições de habitabilidade, além de viaturas com 42 anos", afirmou.
Fernando Curto lamenta que a Câmara de Viseu "ande há anos a fazer orelhas moucas" às reivindicações dos bombeiros." hoje no Jornal de Notícias

Depois de tanto se falar de uma imagem de "Marca" para Viseu, aqui fica uma de que ninguém se orgulha, que correu hoje o País e o Mundo. De facto o regozijo e arrogância patenteados perante as nomeações de "melhor cidade para viver", contrastam com o silêncio e apatia perante esta situação "terceiro-mundista". 
A indiferença da Câmara Municipal de Viseu perante esta calamidade no corpo de bombeiros municipais, demonstra desprezo perante os profissionais, e negligência perante a população que em caso de acidentes não tem o corpo de bombeiros municipais operacional para prestar socorro.

Sem comentários:

Enviar um comentário