Na hora da verdade, um desafio…





Nas eleições internas das Concelhias do PS e PSD-Viseu os eleitores decidiram premiar as listas de continuidade. Na prática, Lúcia Silva e Guilherme Almeida têm assim um total de 4 anos (2+2) para afirmarem nos planos interno (dentro dos próprios Partidos) e externo (na Sociedade Civil Viseense) os seus projectos.

No que diz respeito ao recente acto eleitoral realizado no PS Viseu, a vitória da lista da continuidade foi expressiva. Apesar de não ter apoiado a candidatura vencedora, há que reconhecê-lo.

Agora, uma vez “arrumadas as casas”, chegou a “hora da verdade” e PSD e PS têm que forçosamente discutir a Cidade que temos e a Cidade que queremos. PSD e PS têm que passar de uma discussão política dirigida aos Militantes de cada Partido (cerca de 1000) para uma discussão política dirigida aos cerca de 100.000 Viseenses com capacidade eleitoral activa nas próximas eleições para a Câmara Municipal de Viseu.

Esta necessidade de discutir a Cidade abarca naturalmente todos os outros Partidos (e, eventualmente, movimentos cívicos) que pretendam concorrer às eleições autárquicas a realizar no ano de 2013.

Por isso, aproveitando a relativa “distância” temporal até às eleições para a Câmara Municipal de Viseu e o ruído que normalmente os processos eleitorais encerram, atrevo-me a deixar um desafio imediato aos “agentes políticos” da nossa Cidade (neste caso, personificado nos Presidentes das Concelhias e eventuais “líderes” de movimentos cívicos): com a maior brevidade possível, promovam debates públicos entre as várias forças políticas e cívicas da Cidade, abertos à participação de todos os Viseenses, e nos quais serenamente discutam a Cidade que temos e a Cidade que queremos.

Por mera hipótese, caso a resposta dos “nossos” responsáveis políticos a este desafio seja o silêncio, então apelo aos Srs. Jornalistas de Viseu que agarrem esta sugestão que seguramente terá uma grande participação e é do interesse de Viseu e dos Viseenses.

Bem sei que não sou jornalista, mas não resisto a deixar desde já alguns tópicos para esses futuros debates:

- Que balanço fazem das duas últimas décadas em que a Câmara Municipal de Viseu foi liderada pelo PSD?
- Como vêem o desenvolvimento do Concelho de Viseu comparativamente com o desenvolvimento de outros Concelhos do Distrito?
- Qual deve ser o papel de Viseu no Distrito, na Região, no País e no plano internacional?
- Como vêem a marca “Viseu” e qual deve ser no futuro a marca “Viseu”?
- Ao longo destes anos, o desenvolvimento de Viseu foi equitativo, ao nível das zonas rurais e não rurais?
- Como analisam o fenómeno do desemprego na Cidade de Viseu e que medidas devem ser tomadas para combater este flagelo?
- Como vêem as dificuldades sociais de tantos Viseenses e que medidas podem ser implementadas para as minimizar?
- Como avaliam o apoio da Câmara Municipal às colectividades de Viseu?
- Qual o modelo de Cidade que defendem para Viseu?
- Como gostariam de ver a Cidade de Viseu daqui a duas décadas?

Sinceramente, gostava de conhecer as respostas dos “nossos” responsáveis políticos a estas e tantas outras questões. Estou certo que muitos Viseenses partilham o interesse na realização de debates públicos sobre a nossa Cidade e, por isso, apelo aos nossos responsáveis políticos (desde logo, aos Presidentes das estruturas partidárias Concelhias) para que “olhos nos olhos” e através de um salutar confronto de ideias discutam em conjunto a Cidade que temos e a Cidade que queremos.


Artigo publicado no Diário de Viseu

Sem comentários:

Enviar um comentário