Um Pingo bem Doce!


No passado dia 1 de Maio assistimos a uma corrida desenfreada às superfícies comerciais do Pingo Doce. O motivo de tamanha afluência deveu-se aos descontos praticados: 50% em compras acima dos 100€. Sem dúvida, apelativo ao consumidor!

Se eu tivesse uma mercearia aberta nesse dia, seria abafado pela concorrência do Pingo Doce e nem sequer teria forma de competir directamente. Mas se eu fosse proprietário de um Continente ou Jumbo, analisaria bem esta estratégia de marketing, que sem talões ou promoções, conseguiu algo inédito no país.

Há quem duvide da legalidade desta operação, considerando dumping. Eu questiono o seguinte: e os descontos de 50% (75% até) em talões que a concorrência faz durante todo o ano? A diferença é que nesta promoção o consumidor recebeu na hora o desconto enquanto na concorrência recebe dias depois. Nenhum produto foi vendido directamente abaixo do preço de custo, até porque o desconto incidiu sobre o total e não sobre um produto em concreto.

Posso até afirmar que, pela primeira vez, tivemos uma empresa que decidiu distribuir dividendos directamente pelos consumidores. 

O país está de tal modo que o povo seguiu cegamente a estratégia de marketing do Pingo Doce. Diria que as cenas verificadas tiveram algumas semelhanças à distribuição de bens alimentares a refugiados. Batem-se por um bacalhau ou um iogurte, como se não fossemos um povo civilizado. Mas num ambiente tão “selvagem”, é capaz de ser difícil manter a razão e a lucidez...  

Há quem considere um atentado ao trabalhador e mesmo à democracia a mega promoção ter sido realizada precisamente no dia 1 de Maio. Pelo menos, não foi no dia de Natal ou de Ano Novo! E ainda bem que foi num feriado, caso contrário, teríamos, além de acampamentos à porta dos estabelecimentos, faltas injustificadas ao trabalho.

Esta estratégica agressiva de marketing do Pingo Doce foi alvo de várias críticas e suspeitas de práticas ilegais. Ilegal ou não, a verdade é que o consumidor que se dirigiu ao Pingo Doce e conseguiu trazer o carro cheio (deve ter atum até 2020!) a metade do preço do dia anterior saiu beneficiado e agradece a atenção em tempos de crise!

1 comentário:

  1. Quem tem unhas é que toca guitarra e o resto é conversa de quem não terá capacidade para proceder do mesmo modo.
    Porém todavia mas contudo, guardado está o bocado para quem o irá comer

    ResponderEliminar