OS PARTIDOS E A SOCIEDADE CIVIL : O CASO DE VISEU

O professor Paulo T.Pereira publicou recentemente um texto sobre a Dívida Pública e a Democracia em Portugal. Nele levanta questões pertinentes sobre os bloqueios no funcionamento da nossa Democracia. Diz Pereira que a qualidade da nossa Democracia tem decaído em consequência do esclorosamento e fechamento dos partidos políticos. Não posso estar mais de acordo. Não é por acaso que se tem agravado o afastamento entre os partidos e os cidadãos - se quisermos entre eleitos e eleitores - sendo hoje este um dos principais bloqueios da Democracia Portuguesa. Não pode existir democracia sem partidos, mas existe uma necessidade óbvia de renovação nos partidos articulando-a com a afirmação da Sociedade Civil. È necessária uma cidadania activa, fora dos partidos e também dentro deles para os poder mudar internamente. Essa dupla mudança é fundamental para se ultrapassar este bloqueio.

Já o disse aqui anteriormente, acredito que Portugal precisa de aprofundar a sua Democracia Participativa, criando uma opinião pública forte, capaz de criar uma Sociedade Civil à altura das exigências que hoje se lhe colocam: não só a participação no debate e reflexão de escolhas políticas como também nas escolhas da governação. Entendo que os partidos, devem procurar abrir as suas estruturas, agenda, propostas e até decisões políticas ao debate amplo e alargado com a Sociedade Civil, criando uma relação aberta, transparente e duradoura com os cidadãos, muito para lá dos simples momentos eleitorais. Só por ai se podem ultrapassar atavismos e anacronismos de décadas que impedem um aprofundamento e uma evolução do nosso sistema democrático.


Esta ideia parece-me incontornável quando falamos da construção de um Projecto Alternativo e Ganhador do Partido Socialista para a Câmara Municipal de Viseu nas Eleições de 2013. O Espaço Público, em Viseu, pode e deve ser preenchido com esse debate, alargando a probabilidade das decisões e escolhas políticas poderem melhor contribuir para o bem comum.


O Partido Socialista em Viseu pode e deve ser um actor social determinante no debate nesse Espaço Público. A candidatura de Filipe Nunes à Comissão Política Concelhia de Viseu do Partido Socialista, apresentada à dias, vem animada desta vontade de mudança. O debate começa agora e para ele estamos todos convocados, porque todos temos a ganhar com isso.




Alexandre Azevedo Pinto,

Economista

Sem comentários:

Enviar um comentário