Ter razão antes de tempo



As ultimas declarações do vice-presidente da bancada parlamentar do PS , Pedro Nuno Santos , relativas ao pagamento da divida foram alvo de grandes devaneios políticos.

O que o Pedro Nuno Santos disse foi aquilo que todos pensam mas ninguém tem coragem de dizer. Se não o deveria ter dito naqueles termos isso é outra questão.

É do mais elementar conhecimento académico que quando um devedor não pode pagar ao seu credor, a única coisa que este e aquele podem fazer é renegociar a divida. Divida essa que da forma que foi concebida não é pagável.

Portugal paga neste momento juros elevadíssimos (onde é que já vão os famosos 7% ! ), e tem um país que não vai crescer nem este ano nem no próximo sustentávelmente ao ponto de poder compensar tais juros .

Caro leitor , faça você a sua análise e esqueça por um momento as declarações do Pedro Nuno Santos. Parece-lhe que num país onde um Governo que quer cortar na função publica mas bate recordes de nomeações ; num país onde não se teve coragem para entrar com as fusões de municípios mas fez-se a de freguesias; num país onde se corta metade do subsidio de natal mas o serviço publico televisão custa 1 Milhão Euros por dia ; num país onde o ministro da economia não consegue pôr em prática no ministério os livros que escreveu fora dele , que nós teremos capacidade para pagar esta divida até ao fim ?Ninguém de pés bem assentes na terra pode afirmar que sim. O ouro do Brasil já se acabou há muito e caminhos marítimos para a Índia há de sobra. Padecemos de uma doença de morte lenta mas inevitável. Pedro Nuno Santos mais não fez que um diagnostico antecipado daquilo que todos vêm mas ninguém acredita.

As declarações do Pedro Nuno Santos foram vistas por aqueles que se acham mais patriotas como uma afronta à capacidade do nosso país em ultrapassar esta crise. A estes temos sempre de recordar o que disse um dia Benjamin Franklin : “ o maior patriota é aquele que tem os pés bem assentes na terra e uma visão de futuro capaz de defender o seu povo”.

É certo que as declarações poderão ter o seu quantum de excessivas , mas não deixemos que a forma prevaleça sobre o conteúdo sob pena de adulterarmos o sentido do que foi dito. Ameaçar o não pagamento independentemente de isso ser ou não realidade é um caminho hoje possível e talvez amanha inevitável. As reacções a estas declarações bem que dão sustento à velha máxima : ter razão antes de tempo é não ter razão.

Veja as declarações - AQUI

Sem comentários:

Enviar um comentário