Pensões Vitalícias

Em Outubro deste ano, a comunicação social decidiu denunciar os valores das pensões vitalícias auferidas por ex-titulares de cargos políticos.

Falamos de políticos que foram deputados, tutelaram ministérios em governos anteriores e que, na maioria dos casos, por terem feito apenas um/dois mandatos, ou seja, 4 a 8 anos, recebem uma subvenção estatal para o resto da vida. Justo? Não. Legal? Sim.

É legal, mas imoral! Alguém em tempos aprovou uma lei para agora "outros" beneficiarem dela.

Vamos conhecer alguns desses nomes: Dias Loureiro. Envolvido no caso BPN cujo buraco financeiro atinge os 4,5 mil milhões de euros. Por que motivo o Estado português subsidia alguém que dizem ser, supostamente, um dos responsáveis pela sua actual dívida? Será que merece ser recompensado com 1700€ mensais?

Foi necessário virem à ribalta as quantias que recebiam para alguns decidirem, por iniciativa própria, abdicar das mesmas. Incrível! Jorge Coelho foi um deles. Até podia ser considerado um verdadeiro acto de coragem e cidadania abdicar de algo a que se tem direito. Mas, porque não devolver parte ou a totalidade do que recebeu até agora?

E os restantes pensionistas que continuam imóveis a apreciar a sua recheada conta bancária no final do mês? É que eles acumulam a subvenção estatal com outros ordenados, por sua vez, bem mais elevados, ou seja, não precisam deste "apoio"! E depois aparecem nas televisões com os habituais moralismos quando eles são os primeiros a desperdiçar. Isto para não falar das políticas que implementaram durante os seus mandatos e que conduziram, directa ou indirectamente, à situação desastrosa em que Portugal se encontra!

Pensões elevadíssimas! Por exemplo, Carlos Melancia recebe 9150€/mês! Que exagero! Será que não podia abdicar de uma parte, para não dizer a totalidade? Precisa mesmo de tanto para sobreviver?

Alguém que ponha fim a isto! O Estado português não está financeiramente saudável para suportar estes gastos! E o povo não tem de "alimentar" estes pensionistas.

Sem comentários:

Enviar um comentário