Eleições Regionais na Madeira


O PSD volta a alcançar a maioria absoluta na Madeira, mas com a menor percentagem desde a sua primeira vitória, em 1976. Conquistou apenas 48,5 % dos votos, ficando pela primeira vez abaixo da fasquia dos 50%. Outra novidade destas eleições regionais é a subida do CDS para a segunda maior força política ( 17,6%).

Ultrapassou o PS que, confirmando a tendência decrescente dos últimos actos eleitorais, caiu para 11,5% e seis deputados. O Partido Trabalhista, do ex-candidato presidencial José Manuel Coelho, passou a quarta força politica regional, ao atingir da votação 6,8% com direito a três deputados.

Apesar de manter a maioria absoluta, o partido liderado por Alberto João Jardim perdeu um grande número de deputados na Assembleia Legislativa Regional, passando de 33 lugares para apenas 25.
A oposição soma agora 22 lugares, repartidos por outras sete forças políticas: o CDS (nove deputados), PS (seis), PTP (três), CDU, PND, PAN e MPT (um deputado cada).

Quem desapareceu do hemiciclo regional foi o Bloco de Esquerda, que perdeu o seu único deputado.

A CDU/PCP sofreu uma descida, ficando com 3,7 % dos votos expressos e reduzido a um único deputado. Todos os restantes partidos, `a excepção do BE que sai do parlamento, elegeram um deputado: o PND com 3,2%, o PAN com 2,1% e o MPT com 1,9 por cento.

Na legislatura finda, o PSD tinha 33 deputados, o PS sete, o CDS dois, o PCP dois, BE, PND e MPT um cada.

Notícia retirada do Público

Sem comentários:

Enviar um comentário