Bom dia , Madeira : És Independente !


As próximas eleições na Madeira marcam a ultima candidatura de Alberto João Jardim a presidente do governo regional. Mas marcarão mais do que isso : serão as primeiras eleições com a Madeira na bancarrota. Em qualquer cenário o governante responsável por tal pagode ou não era candidato ou a derrota seria estrondosa. Na Madeira é ao contrário. Mas Governar com o dinheiro alheio tem destas – como usualmente se diz na Madeira – benesses.

Na Madeira o extraordinário passa a ordinário à mesma velocidade que se gasta o dinheiro dos outros. Na Madeira o presidente do Governo Regional controla a comunicação social. Na Madeira há um comodismo medonho . Na Madeira o turismo estagnou. Na Madeira a maior parte da população trabalha – directa ou indirectamente – para o sector publico. Na Madeira calam-se os dissidentes e o direito da força prevalece sobre a força do direito.

E já agora, abra-se uma chaveta para a pergunta do parvo : Se a Madeira tem uma grande divida e credores, eles não podem executar qualquer coisita ? A lei diz que sim mas isto em Portugal é tudo com muita calma e muito respeito. Em Portugal uma divida não é um problema do devedor, é do credor.

Alberto João Jardim é o pior e mais miserável responsável político em Portugal. De cada vez que se vê enrascado lá vem ele com a ameaça da independência. A léria é casaca coçada e fede a gasto.

Mas e se um dia destes alguém se lembra de perguntar ao povo ( que é quem vai pagar as benesses Madeirenses ) o que pensam sobre a independência da Madeira ? E se esse referendo for vinculativo ?

Acredito que Alberto João terá os piores resultados de sempre nestas eleições ,mas isto não basta. Nós precisamos de um presidente Gov. Regional mais estadista e menos politico,que pare de pensar nas próximas eleições e comece a pensar nas próximas gerações.

O país pasmou ao ver Alberto João admitir publicamente o buraco da Madeira e – muito pior - a sua justificação. Numa sociedade comercial os sócios podem responsabilizar os administradores por má gestão ou gestão danosa . Alberto João fez as duas.

Alberto João Jardim tem de ser julgado não pelos Madeirenses nem nas urnas, como está bom de ver.

Se numa altura em que Portugal atravessava – e atravessa - uma das piores crises de que há memoria e um presidente de um Gov. Regional decide criar um buraco financeiro de 500 milhões a aumentar o IVA na Madeira ; se prefere afundar ainda mais o país a aumentar o IMI na Madeira e se, ao fim e ao cabo o faz o conscientemente, isto não postula uma gestão danosa. Postula uma dolosa.

Se ao que rezámos somarmos os constantes insultos ao “povo do continente”, e os gestos obscenos às condutas completamente antagónicas do que ex officio se exige , cumpre perguntar : já não há matéria de sobra para responsabilizar directamente Alberto João Jardim e colocar este politico deplorável sob alçada da justiça ?

Se a resposta à questão sob julgamento vertente for negativa , chamem os xutos : temos o mundo ao contrário.

1 comentário: