Um ano em que não se pode dizer não…



2011 é o Ano Internacional do Voluntariado. Mas…qual a importância do Voluntariado?

Em primeiro lugar, ser voluntário é participar em causas com relevância social e comunitária e, através dessa participação, contribuir para melhorar a vida de todos. O trabalho de voluntariado abarca toda a actividade desenvolvida por aqueles que, por prazer e vontade própria, se predispõem a ajudar os outros, sem pedirem nada em troca.

Actualmente, existem em todo o mundo múltiplas organizações que vivem do trabalho voluntário. São tantos e tão bons os exemplos de organizações de voluntários, que me abstenho de os individualizar.

O trabalho voluntário, apesar de não remunerado, é exercido de forma séria e muitas das vezes necessita de um trabalho tanto ou mais especializado e profissional do que outros trabalhos e/ou empregos. Em Portugal, as Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários, pilares centrais do lema “Vida por Vida”, são disso uma prova viva.

A importância do voluntariado tem-se vindo progressivamente a afirmar e hoje o reconhecimento advém não só da sociedade, como dos próprios Governos.

São vários os problemas que assolam o mundo: crianças abandonadas, fome, miséria, desigualdade social, idosos sem assistência, degradação ambiental, vítimas de violência, dependentes de drogas, lixo, falta de saneamento básico, sistema, entre outros.

Acresce que, para agravar tudo isto, verifica-se hoje uma inversão dos valores fundamentais e o “ter” tem-se vindo a afirmar perante o “ser”. Este estado de coisas, infelizmente, é o resultado de uma sociedade de aparências, na qual o “ter”, a aparência, o dinheiro, o estatuto, e o poder se afirmam como os valores supremos

De quem é a responsabilidade de tudo isto? A responsabilidade é de todos nós.

Porém, cumpre a cada um contribuir para construir um mundo mais humano, justo solidário, igualitário e no qual todos tenham uma oportunidade.

Participar é já um pequeno (mas importante) passo nesse caminho

2 comentários:

  1. Se todos Nós dermos um pouco do nosso tempo a ajudar o Próximo de certeza que contribuiríamos para um mundo mais humano, como já referis-te Ricardo, e as desigualdades de certeza que iriam diminuir progressivamente.
    E todos podemos ajudar independentemente de haver associações, apenas o facto de fazermos uma visita a um vizinho sozinho e com mais dificuldades, quer sejam financeiras, como motoras fará a diferença! Uma organização com um fim social poderá ser construída por nós em cada localidade!
    Excelente tema Ricardo!

    ResponderEliminar
  2. Muito bem ricardo. Este espirito de primeiro ser e só depois ter, fará toda a diferença nesta sociedade que so pensa no consumismo. Conheço dois locais onde necessitam de ajuda. Um é uma unidade de cuidados continuados onde metade da população é acamada. Logo haverá de certeza, muita fralda suja a mudar, muito banho para dar, muito chão para limpar... o outro é uma unidade de cuidados de pessoas com lesões vertebrares...muitos posicionamentos há; muita comida´à para dar. Os horarios de voluntariado sao tipo rolument, ou seja: das 8h ate as 16h; das 16h ás 23h e das 23h ate as 8 da manha. necessitam de mais voluntariado no turno da tarde e noite. Ricardo e anabela posso dar os vossos nomes?????

    ResponderEliminar