Turismo: um investimento em crescendo!


Recentemente, o Governo concluiu a revisão do Plano Estratégico Nacional de Turismo (PENT) que aponta um crescimento anual de 9,9 por cento nas receitas, que culminará com proveitos de 12,22 mil milhões de euros em 2015. Uma vez alcançada esta meta, o sector passaria a pesar 15,8 por cento nas exportações nacionais. Estes são números e previsões animadoras e enquadradas com os números de 2010. José Sócrates disse-o na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL) - «o ano de 2010 foi o melhor ano do Turismo de sempre, bateram-se todos os recordes, os proveitos subiram cerca de dez por cento relativamente ao ano anterior e atingiu-se um nível de proveitos acima dos 7,6 mil milhões de euros».

A BTL, que reuniu os agentes do sector na passada semana na capital portuguesa, promoveu o Turismo Regional e as regiões menos favorecidas, potenciando as suas valências turísticas junto do mercado nacional e internacional. Este certame foi extremamente relevante para a nossa região, o interior muitas vezes esquecido nestas andanças… porque nunca nos podemos olvidar que o Turismo é um sector chave numa economia globalizada como a que vivenciamos actualmente, que afecta milhões de agentes em todo o mundo.

Segundo o relatório do World Travel Tourism Council (WTTC), apresentado o ano passado, sobre o impacto económico na indústria de viagens e turismo, em 2009 e 2010, em 181 países, a contribuição do Turismo para o emprego em Portugal apontava então um crescimento de 18,8 por cento, correspondendo a cerca de 943 mil empregos em 2010, para 23,2 por cento do emprego total no território nacional, com 1,199 mil, ou seja, um em cada 4,3 postos de trabalho em 2020. E os investimentos e as receitas internacionais que entram no nosso país são inegáveis: as receitas turísticas internacionais serão responsáveis por 14,9 por cento do total das exportações em 2010, alcançando em 2010 15,3 por cento do total nacional, segundo as estimativas do WTTC.

Contudo, nos tempos de hoje, as expectativas em relação ao futuro são elevadas! Mais do que nunca, é necessário unir esforços e encontrar novas vias para um crescimento que possa ser sustentado. A gestão deste sector, por parte dos agentes e entidades locais, deve ser cuidada, potenciada e nunca descurada. É um sector com um peso tremendo na economia nacional e assume um papel essencial no sector do emprego e, nesse sentido, todo o investimento deve ser visto como uma mais-valia pelos proveitos reais que traz para a qualidade de vida das populações. Para o olhar de um gestor com visão, trata-se sem dúvida de um investimento em crescendo!

João Azevedo

Presidente da Câmara Municipal de Mangualde
Presidente da Federação Distrital do PS Viseu

Sem comentários:

Enviar um comentário